TESTEMUNHOS

MEMÓRIAS DE 4 GERAÇÕES

O QUE VIMOS NO S. GERALDO

Alexandra Vieira:

Vi este filme, adaptado do livro de Umberto Eco “O Nome da Rosa”, em 1986, no Cinema S. Geraldo esgotado!

Luís Braga Simões:

Que me lembre, o melhor filme que vi no Cinema S. Geraldo foi o “One Flew Over a Cuckoo’s Nest” (Voando Sobre um Ninho de Cucos). Realizado por Milos Forman em 1975 e protagonizado por Jack Nicholson, Louise Fletcher, Brad Dourif, Danny DeVito, Christopher Lloyd e Vincent Schiavelli, conta a história sobre Randle Patrick McMurphy (Nicholson), um jovem delinquente que, para escapar a uma pena de trabalhos forçados, resolve fingir-se de doente mental. Quando chega à instituição psiquiátrica onde é internado, começa a confrontar-se com os abusos físicos e psicológicos praticados pela enfermeira-chefe Ratched (Fletcher) e resolve desafiar as autoridades, instigando os doentes a rebelarem-se contra os tratamentos pouco ortodoxos da enfermeira. Fui no início dos anos 80, o bilhete custava cerca de 180$ e fui acompanhado por dois amigos da altura, o José Quintas e o Cadete. 

António Lobato Costa:

O filme que melhor me lembro de ter visto no Cinema S. Geraldo foi o “Enforcamento” de Nagisa Oshima. Fui ao cinema com Rui Cristina e Hermenegildo Cristina, por volta de 1972/3. Não me recordo do valor do bilhete mas não custava mais do que 5 escudos

Pedro Quintas:

O meu pai levou-me a mim e ao meu irmão a ver esta obra prima INESQUECÍVEL: o urso.

Luís Fernandes:

A imagem que deixo a ilustrar este texto é um frame de um filme que representa a última memória que tenho do S. Geraldo. Curiosamente chama-se Never Ending Story.

José António Barbosa:

O filme que melhor me lembro de ter visto no Cinema S. Geraldo foi “Manhattan” de Woody Allen. Foi um fascínio absoluto! Fui ao cinema sozinho,como fazia habitualmente,em 1980. Não me recordo do valor do bilhete mas sei que era acessível.

Artur Caldeira:

A primeira Grande Noite/Concurso de Fado que se realizou em Braga após o 25 de Abril aconteceu no S. Geraldo, uma sala que urge recuperar. Realizou-se em 1978 e, conforme a fotografia mostra, estou lá eu, o Sr. Manuel Lima e filho, mas também o Francisco Seabra na Guitarra Portuguesa e Rafael de Carvalho na Viola, uma “parelha” vinda do Porto e que tocava regularmente nas noites de Fado do Ragú. Como se pode ver no quadro da pontuação, a foto documenta a apresentação do fado vencedor, “Barco Rabelo”, com música de Carlos Santos e letra do próprio intérprete, o fadista Óscar Martins.

Rúben Costa:

Vi lá este filme na década de 90!

José Carlos Silva:

Entre muitos outros, o que mais me ficou na memória foi o belíssimo A Missão.

Sandra Oliveira:

Tenho uma memória do cinema: ter ido ver a ante estreia com o meu pai, mãe e irmão, do filme de Jean Jacques Annaud, O Urso. Foi um sessão à noite o que contribui para guardar na memória a sensação de mistério e euforia de criança. Não me recordo o ano, o filme saiu em 1988.

 

Anúncios