Breve história – 1ª parte: Salão Recreativo

O Salão Recreativo Bracarense foi construído em 1917 por uma sociedade anónima. Destinava-se a espetáculos teatrais e cinematográficos. Em 1924 já estava a funcionar. A sala principal dispunha de plateia, frisas, galerias e, no 1º andar camarotes, com uma lotação total de 760 lugares.

SRB lotação

Uma vistoria de Março de 1933 entendeu, porém, que o Salão Recreativo já não apresentava condições de funcionamento. No auto lê-se: “as colunas de madeira que servem de apoio aos camarotes e telhado [encontram-se] sensivelmente deformadas, circunstância esta que deve atribuir-se não só às suas más constituições, por serem feitas de pinheiro com aproveitamento das pontas intercetadas por vários galhos, mas também por não possuírem as respetivas secções transversais, as dimensões necessárias, para lhes garantir as resistências precisas para as cargas que suportam. E assim se verificou a iminência de rotura de qualquer delas, o que não deixaria de ser de consequências muito funestas, se por ventura se desse numa ocasião de espetáculo”. As colunas que suportavam os camarotes foram reforçadas com vigas de ferro e na vistoria de Julho do mesmo ano o Salão Recreativo foi dado como em condições de funcionamento. Em 1935 foi construída uma cabine de projeção e enrolamento para cinema. Em 1940 realizou tanto “espetáculos teatrais como cinematográficos”.

1917 salão recreativo bracarense

1916-08-25 – A Comissão Executiva Municipal concede licença para a construção do edifício

1916 projeto arquivo municipaç
(o alçado original – fonte: Arquivo Municipal)

 

1927-05-01 – Anúncio da programação no jornal

1927 PROGRAMA SALÃO RECREATIVO 2012-07-18 11.09.35 SALAO RECREATIVO 2

1926-07-11 – filme Os Dois Garotos, com o famoso ator Gabriel Signoret

1926-07-11

1930-05-11 – Companhia de Revista Stichini-Santos

1930-05-11

1935 – construída uma cabine de projeção e enrolamento para cinema

1939-02-02 – o grupo dramático Amadores Bracarenses Reunidos requer que a revista local “Palheiras de Braga” seja vistoriada pela censura1939 carta

1939-05-25 – ofício do Governador Civil à PSP que chama atenção para  o rigoroso cumprimento do Decreto n.º 13564, de 6 de Maio de 1927: “enquanto durar a projeção dos filmes as senhoras são obrigadas a conservar a cabeça descoberta”; foi dado conhecimento ao Sr. José Costa, empresário do Theatro Circo e Salão Recreativo

1939-11-20 – O Inspetor dos Espetáculos comunica ao Governo Civil que todos os espetáculos teatrais e cinematográficos deverão terminar às 23h30 com meia hora de tolerância

1940-03-25 – A Delegação da Cruz Vermelha de Braga pede autorização para realizar alguns espetáculos teatrais

1940-11-30 – ofício do Governador Civil à direção da Sociedade Dramática Bracarense pedindo que remeta à comissão de censura dois exemplares impressos da peça “O Berço do Salvador”

1942-09-20 – com umas breves obras do Theatro Circo, o Salão Recreativo recebe toda a programação daquele teatro
1942-09-20 THEATRO EM OBRAS

A partir de 1948 foi apresentado o projeto de adaptação a cinema, dando lugar ao S. Geraldo inaugurado a 1 de Junho de 1950. Este manteve o palco e várias estruturas de apoio que lhe permitiram a realização de inúmeros espetáculos.

 

 

Anúncios

Breve história – 2ª parte: o S. Geraldo

 

O Salão Recreativo Bracarense foi adaptado a cinema a partir de 1948. No projeto inicial ainda não tinha o nome de S. Geraldo, mantendo a designação original de Salão Recreativo Bracarense. Na véspera, o Correio do Minho trazia o anúncio publicitário à inauguração do cinema, em 31 de Maio de 1950:

fla2

 

No dia 2 de junho de 1950 o Correio do Minho noticiava a inauguração do Cinema São Geraldo. A notícia fazia uma descrição completa da nova sala de cinema destacando as suas linhas modernas, a dimensão e conforto e a qualidade do som e da luz. O S. Geraldo passa a ser explorado até 1991 pela empresa Victoria Cine, Lda.

flag

O primeiro filme exibido pelo S. Geraldo a 1 de Junho de 1950 foi Cruzeiro de Férias/Luxury Liner (de 1948), realizado por Richard Whorf com argumento de Richard Connell, Karl Kamb e Gladys Lehman.

 

Das centenas de filmes e eventos culturais, escolhemos alguns abaixo. À medida que vamos compilando informação dispersa sobre o cinema, vamos acrescentando aqui os mais relevantes.

Em 1963 é exibido o filme “Spartacus” de Stanley Kubrick.

CINEMA S. GERALDO, Spartacus (2)

Em 1964 é reexibido o filme “O Gatopardo” de Luchino Visconti.

CINEMA S. GERALDO, O Leopardo

Em 1965 é exibido com grande sucesso o filme “4 Cabeleiras do Após Calypso” dos “famosíssimos Beatles”.

1965-10-21 beatles

 

Em 1972 o CA atua grande sala principal do S. Geraldo integrado numa récita com José Sarmento, José Tinoco Marques e Valdemar Ferreira

1972-02 RECITA DO CENTRO ACADÉMICO DE BRAGA NO S. GERALDO SG Com Biba Sarmento, José Tinoco Marques e Valdemar Ferreira.

Em 1978 é a apresentada a Grande Noite Concurso de Fado. Na fotografia vemos Artur Caldeira, Manuel Lima e filho, Francisco Seabra (Guitarra Portuguesa) e Rafael de Carvalho (Viola):

1978 Grande NoiteConcurso de Fado - Artur Caldeira, Manuel Lima e filho, Francisco Seabra (Guitarra Portuguesa) e Rafael de Carvalho (Viola) vtratada

Em 1984-85 é construído o edifício do Pé Alado que veio ocupar a rua particular que servia o S. Geraldo e eliminar os camarins e arrumos de apoio ao palco (lado Sul).

Em 31 de Dezembro de 1990 é exibido o último filme pela empresa Victoria Cine, Lda – Rocky V.

Em 1994-95 o cinema volta a funcionar temporariamente após o incêndio dos cinemas Avenida. Um dos últimos filmes exibidos é Pulp Fiction. Desde aí esta sala de espetáculos teve uma utilização muito esporádica.